DEIXE SUA CONTRIBUÇÃO EM COMENTÁRIOS

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

PRÁTICA DE JUIZ E DE PREFEITO COISA ESQUISITA

Publicado no blog do Itevaldo JUIZ DE DOM PEDRO, THALES RIBEIRO “ESPANCA” O DIREITO

O juiz da comarca de Dom Pedro, Thales Ribeiro de Andrade (foto) resolveu misturar público e privado numa ação em que a Prefeitura de Dom Pedro move contra o Sindicato dos Professores (Sinserpdom) por conta de uma greve da categoria.

Punido pelo Tribunal de Justiça (TJ-MA) com uma advertência por ter suas contas de hotel pagas pela Prefeitura de Dom Pedro com dinheiro do Fundeb – comprovada pela Controladoria Geral da União (CGU) - mesclar público e privado aparenta ser tarefa das mais fáceis para Thales Ribeiro. (releia aqui)

O juiz decidiu multar em R$ 5 mil/ dia o Sinserpdom por conta da greve. Quando a multa chegou ao patamar de R$ 70 mil, Thales Ribeiro decidiu mandar executar a multa. Ao invés da execução recair sobre o patrimônio do sindicato, o juiz determinou que fosse sobre a conta bancária da presidente do Sinserpdom, Vera Lúcia Alves Pereira.

Thales Ribeiro motivado sabe-se lá por quais razões, decidiu confundir o sindicato, pessoa jurídica, com a pessoa da sua presidente Vera Lúcia. Estaria o juiz de Dom Pedro tentando intimidar e/ou constranger a presidente do Sinserpdom?

Como não havia a grana na conta de Vera Lúcia, o juiz Thales Ribeiro determinou a busca e apreensão de uma motocicleta modelo Broz, de propriedade de Ivanildo Rosa Sobral, apenas cunhado da presidente do sindicato.

A execução foi diligentemente levada a cabo pelo delegado de polícia Otávio Cavalcante, pela oficial de justiça Maria Dilma Diogo, acompanhados de um policial e um escrivão.

No mesmo despacho de busca e apreensão, o juiz e Dom Pedro designou a data de 24 de novembro de 2010, o leilão da motocicleta para saldar o valor da multa. O sindicato e o governo municipal chegaram a um acordo e a greve acabou.

Thales Ribeiro ficara rabioso com os professores de Dom Pedro depois que a CGU revelou que a grana do Fundeb –que entre outras coisas paga os mesmos professores – quitava as contas do juiz no Fiori Palace Hotel?

Será que a zanga do juiz de Dom Pedro – punido com uma censura pelo TJ-MA por dar aula em São Luís quando deveria trabalhar na comarca sem o conhecimento do tribunal – porque o sindicato propôs a Exceção de Suspeição, após ele afirmar ao Jornal Pequeno que os professores de Dom Pedro ganham R$ 2.200,00; quando na verdade os salários variam entre R$ 713,86 a R$ 1.149,31 (bruto)? (leia aqui)

O que levaria a um juiz punido pelo TJ-MA com uma advertência e uma censura afirmar ao Jornal Pequeno que o Sinserpdom teria uma atuação em quatro municípios, quando na verdade além de Dom Pedro atende aos professores de Santo Antônio Lopes? Porque o juiz afirmaria que a greve dos professores já durava 60 dias, quando o movimento paredista deflagrara há 21 dias?

Estaria Thales Ribeiro rabioso pelo fato de duas servidoras que trabalham no Fórum da comarca serem professoras municipais e pagas com o recurso do Fundeb?

Caso nenhuma das indagações acima tenha respostas plausíveis, o juiz Thales Ribeiro estaria tão somente a fazer troça do Tribunal de Justiça? Afinal, ganhar uma advertência e uma censura, saem mais em conta do que terem as diárias do Fiori Palace pagas com a grana do Fundeb.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Toda pessoa tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras. Vale lembrar: a Constituição Federal brasileira de 1988 veda o anonimato.

CONHEÇA A LISTA DE CURSOS 24 HORAS, VOCÊ É MEU INDICADO PARA EFETIVAR SEU CADASTRO AQUI

Empresa Mexicana de produtos alimentícios e/ou nutricionais e naturais com a melhor e exclusiva tecnologia desenvolvida por cientistas da NASA, presente em mais de 20 paises, procura pessoas a partir dos 18 anos de idade Na Sua Cidade para érea de vendas e distribuição.


A Constituição Federal no inciso IV do artigo 5 garante a livre manifestação de pensamento mas veda o anonimato.

"A vontade de Deus nunca irá levá-lo(a) aonde a Graça de Deus não irá protegê-lo(a)."

OBRIGADO, POR SUA VALOROSA VISITA!

Oportunidades

Pesquisar neste blog